9 de fevereiro de 2012

Conan


Alter-ego: Amra (usado quando ele era um pirata).
Criadores: Robert E. Howard.
Estréia: Weird Tales, dezembro de 1932. Nos quadrinhos, Conan fez seu debut em Conan The Barbarian nº 1, 1970 (Marvel).
Revistas onde já apareceu regularmente: Conan The Barbarian, The Savage Sword of Conan, King Conan, Conan The King, Conan Classic, Conan Saga, Conan The Adventurer, Conan The Savage.
Grupos de que já fez parte: os Kozakis, os Zuagires, a Irmandade vermelha e os Barachos entre outros.
Histórico
Nascido em um campo de batalhas e filho de um ferreiro, aos quinze ou dezesseis anos, Conan deixou voluntariamente sua tribo e começou a vagar pelo mundo, tendo lutado ao lado dos loiros aesires sendo, posteriormente, escravizado pelos hiperbóreos. Escapando, atuou como saqueador, mercenário e pirata, sendo esta fase uma de suas mais marcantes devido a seu grande amor, a morena Bêlit, mais conhecida como a Rainha da costa Negra, que veio a falecer nas mãos do último sobrevivente de uma raça milenar. Durante sua vida enfrentou guerreiros, feiticeiros, monstros, vampiros, demônios, lobisomens e até mesmo criaturas dimensionais. Após inúmeras aventuras, aos quarenta anos, Conan conseguiu se tornar rei da Aquilônia, que, junto com a culta Nemédia, constituíam as mais altivas e poderosas nações hiborianas. Isto se deu após uma sangrenta guerra civil, quando o cimério estrangulou o traiçoeiro regente anterior, Numedides, e usurpou o trono. Após algumas tentativas deposição, ele teria se casado com a cortesã Zenóbia e tido filhos com a mesma. Depois de cerca de trinta anos no poder, com cerca de sessenta e oito anos, Conan teria deixado o reino para seu filho mais velho, Conn, e partido para o enigmático Oeste, onde, após uma contenda nas misteriosas Ilhas de Antillia, remanescentes da desaparecida Atlântida, teria rumado com velhos companheiros de seus tempos de pirata ao obscuro continente de Mayapan, sendo que até aqui constam suas crônicas.
Personalidade: Conan é descrito como ladrão sagaz, mercenário e assassino frio, formidável guerreiro, com olhos sombrios e mãos sempre prontas a empunhar uma espada. Vaga pelo mundo, por luta, ouro, mulheres e vinho. Detesta particularmente a magia e todos os seus praticantes. Ainda assim, ele conserva um certo príncipio ético de justiça, o que o faria, por exemplo, defender pessoas indefesas, depor governantes mesquinhos, etc. Seu deus é Crom, considerado distante e que pouco liga para o destino dos homens. É considerado invencível no combate de espadas. Possui força física avantajada e reflexos e sentidos aguçados. Ele também é um líder nato e excelente estrategista militar.
BRASIL
Primeira aparição: Conan, O Bárbaro 1 ao 3 (Editora Minami e Cunha 1972).
Publicações regulares anteriores: Conan O Bárbaro (Minami-Cunha), Conan O Selvagem (Roval) Harthan O Selvagem (Graúna), Conan O Bárbaro (Bloch), Heróis da TV, Super Aventuras Marvel, A Espada Selvagem de Conan em Cores, Conan Especial, Conan Rei, Rei Conan, Conan O Aventureiro, Conan Saga, A Espada Selvagem de Conan (Abril), Os Demônios de Kithai 1 a 4, As Filhas de Midora, As Jóias de Gwahlur, Conan, o Cimério Volume 1 (republicação das primeiras histórias de "Conan, o Cimério"), A Cidadela dos Condenados, Os Hinos dos Mortos 1 a 5. (Mythus).