17 de junho de 2012

Roger Cruz

Ocupação: desenhista
Ano de nascimento: 1971
Naturalidade: Brasil
Estréia: No Estúdio Art & Comix, como letrista e desenhista de fundos.
Primeiro êxito com super-heróis: Depois de começar a produzir material para editoras estrangeiras, seu trabalho começou a chamar a atenção quando desenhou a edição X-Men Alpha, em 1995.
Grandes trabalhos: Depois deste trabalho, ele desenhou o Youngblood e o número único de X-Patrol (do Universo Amalgam), entre outras revistas. Em 1996, ele assumiu a arte do título X-Man.
Curiosidades: O parceiro dos sonhos de Roger Cruz é Alan Moore. Watchmen, por sinal, é, para ele, a melhor revista em quadrinhos de todos os tempos.

Nascido na cidade de São Paulo em 22 de fevereiro de 1971, o desenhista Rogério Cruz Kuroda foi um dos primeiros brasileiros a fazer sucesso no concorrido mercado de quadrinhos norte-americana, usando o pseudônimo de Roger Cruz. Rogério se iniciou nos quadrinhos em 1986, fazendo letras para o estúdio Art & Comics. Pouco depois conseguiu trabalho na editora Vidente, ilustrando histórias pornográficas. Muito influenciado pelo estilo underground de artistas como Angeli e Laerte, em pouco tempo estava publicando história curtas, de sua própria autoria, em revistas como Pau-Brasil e Mil Perigos. No início da década de 90, Rogério fez um teste para a editora americana Continuity, de Neal Adams, e conseguiu trabalho no título Armor. Em 1994 realizou o sonho de vários artistas de qualquer parte do mundo ao desenhar o número 315 da revista The Uncanny X-Men. A partir daí, graças a seu estilo dinâmico e fortemente influenciado (à epoca) por Jim Lee, Rogério ilustraria vários números da revista. Em 1995 teria o momento de maior destaque em sua carreira ao desenhar as edições X-Men Alpha e X-Men Omega, as mais importantes da mega saga "A Era do Apocalipse", um dos melhores momentos dos heróis mutantes nos últimos anos. No mesmo ano, o artista foi convidado por Rob Liefeld, um dos fundadores da Image, para ilustrar o título Youngblood. Após alguns números desenhando a revista, Rogério acabou retornando para a Marvel, onde assumiu o posto de desenhista regular do título X-Man. Atualmente Rogério está vinculado à Fábrica de Quadrinhos, estúdio que presta serviços a outras empresas e editoras e que funciona também como escola de desenho.